facebook youtube

Notícias

Trabalhos de Vera Chaves Barcellos na feira ArPa

Obras da artista Vera Chaves estão presentes na 1ª edição da ArPa – feira de arte, projeto concebido por Camilla Barella que visa conectar múltiplas perspectivas dos circuitos da arte contemporânea.

 

 

Entre as 47 galerias participantes, a Superfície ocupa o estande C05, com uma seleção de trabalhos que têm como ponto de partida a mostra coletiva Ventre da Terra, apresentada no espaço da galeria em 2021. A exposição tinha a terra como elemento central, um elo de ligação entre os trabalhos.

 

 

Da vasta produção de Vera Chaves Barcellos, o público pode conferir Epidermic Scapes, 1977/1982, em duas versões (quatro fotografias p/b e um políptico de cinco fotografias coloridas); e Memórias, 1978/2020, que abrange 20 fotografias vintage, da década 1980. A galeria Superfície propõe um diálogo entre essas obras e outros trabalhos de artistas que também integram o estande: Anna Bella Geiger, Lotus Lobo, Celeida Tostes e de Gê Viana.

A ArPa tem início nesta quarta-feira, 1º/06, no Complexo do Pacaembu, em São Paulo, e se encerra no domingo, 05/06. Paralelamente, ocorre a feira Made, que chega a sua 10ª edição como uma das principais plataformas do design colecionável do país.

Bruna Fetter assume a Direção Cultural da FVCB

Bruna Fetter, professora e pesquisadora do Instituto de Artes da UFRGS, é a nova diretora cultural da Fundação Vera Chaves Barcellos.


Em recente visita à Sala dos Pomares e ao Acervo da FVCB, Bruna Fetter foi recebida pela artista Vera Chaves Barcellos e por Margarita Kremer, coordenadora do Educativo, que apresentaram a exposição “80’s”, atualmente em cartaz, bem como as diversas obras da Coleção Artistas Contemporâneos FVCB. O Conselho da Fundação também já recepcionou a nova dirigente em reunião realizada na Sede de Porto Alegre.

Nas palavras de Bruna Fetter: “Estou honrada e feliz pelo convite em assumir a Direção Cultural da FVCB. Há muito acompanho e sou entusiasta da instituição que, por meio do seu acervo, programação e atividades, cumpre um importante papel em nosso meio artístico. A Fundação, conduzida pela Vera e ancorada num Conselho ativo e numa equipe competente, é uma ativadora de encontros e proposições renovadas. Enfim, um lugar para experienciar e refletir sobre arte. Espero poder contribuir ainda mais neste sentido”.

Doutora em História, Teoria e Crítica de Arte (PPGAV/UFRGS), Bruna Fetter atua como docente no Instituto de Artes da UFRGS e como vice-coordenadora do curso de especialização em Práticas Curatoriais na mesma universidade. Foi pesquisadora visitante na New York University (2014/2015), por meio da bolsa Fulbright. Curadora de diversas mostras, entre 2006 e 2007, coordenou a equipe de produção executiva da 6ª Bienal do Mercosul. É membro da ANPAP, da ABCA e da AICA. Coautora do livro “As novas regras do jogo: sistema da arte no Brasil” (Editora Zouk, 2014), colaborou nas publicações “Artes visuais – ensaios brasileiros contemporâneos” (FUNARTE, 2017), “Práticas contemporâneas do mover-se” (Circuito, 2015) e “A palavra está com elas: diálogos sobre a inserção da mulher nas artes visuais” (Panorama Crítico, 2014).

Em nome da Presidência e do Conselho da FVCB, damos as boas-vindas para Bruna Fetter e agradecemos imensamente a Neiva Bohns pela primorosa atuação à frente da Direção Cultural da FVCB ao longo de todos esses anos, realizando curadorias, palestras e escrevendo textos em catálogos e publicações, como a revista Pomares.

Visita mediada à exposição “80′s” com José Francisco Alves

Uma exposição possibilita diversos percursos, leituras e novos conhecimentos. Partindo dessa premissa, na tarde do último sábado, 21/05, realizamos uma visita mediada com a participação de José Francisco Alves, pesquisador, historiador da arte e autor dos textos da mostra 80’s, atualmente em exibição na Sala dos Pomares, em Viamão.

José Francisco Alves, pesquisador, historiador da arte e autor dos textos da exposição 80′s. Foto de Bebeto Alves.

A atividade integrou a programação da 20ª Semana Nacional de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram. Na ocasião, foi oferecido transporte gratuito para deslocamento de ida e volta entre Porto Alegre e Viamão.

Sala dos Pomares. Foto de Bebeto Alves.

Além de apresentar as mais de 50 obras que compõem a exposição, José Francisco Alves contextualizou o público sobre as transformações e os fatos históricos ocorridos na década de 80, que influenciaram os/as artistas atuantes neste período. Uma grande aula sobre história da arte!

“A arte brasileira nos anos 80 acompanhou o contexto, com o país recomeçando a respirar a democracia (anistia, volta dos exilados) com fundo musical da MPB. (…) O artista experimental, pop e sob censura dos anos 70 se transformou, nos 80, em um novo artista, mais profissional. Isso foi resultado de alguns fatores: o incremento da arte universitária (e mais aberta), o mercado e suas inúmeras galerias, a efervescência cultural, a criação do MinC e o posterior surgimento de inúmeras instituições.” (Trecho do texto de José Francisco Alves).

 

Exposição 80’s | Visitação

Quem tiver interesse em conhecer a exposição atual da FVCB, basta agendar uma visita pelo telefone (51) 98229 3031 ou pelo e-mail educativo.fvcb@gmail.com. A entrada é gratuita.

Lançamento do Material Educativo da exposição “80′s” reúne mais de 200 professores

Mais de 200 professores/as da rede municipal de Viamão e de arte-educadores/as instituições culturais participaram do lançamento oficial do Material Educativo da exposição 80’s, ocorrido na manhã de sábado, 21/05, na Sala dos Pomares da Fundação Vera Chaves Barcellos.

Rogério Lambert, Assessor do Fundamental II da SME; Yuri Flores Machado e Margarita Kremer, do Programa Educativo da FVCB; Katilene Medeiros, Diretora Pedagógica da SME; e a artista Vera Chaves Barcellos. Foto de Prefeitura de Viamão.

 

O evento, promovido em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Viamão, contou com a presença de Katilene Medeiros, Diretora Pedagógica da SME, e Rogério Lambert, Assessor do Fundamental II da SME, que foram recepcionados pela artista Vera Chaves Barcellos e pela equipe da FVCB.

Professores/as e arte-educadores/as na apresentação do Material Educativo da exposição 80′s. Foto de Prefeitura de Viamão.

 

Na oportunidade, Margarita Kremer e Yuri Flores Machado, do nosso Programa Educativo, apresentaram o conteúdo voltado a práticas pedagógicas em sala de aula, bem como as obras que integram a mostra dedicada à versatilidade das produções artísticas da década de 80.

Yuri Flores Machado, Katilene Medeiros e Marga Kremer. Foto de Prefeitura de Viamão.

 

Visando articular conhecimentos multidisciplinares, o Material Educativo reúne imagens de trabalhos expostos na Sala dos Pomares, com textos e proposições no verso para atividades escolares. Há também indicações de livros, de filmes e de outras obras para que os/as estudantes possam relacionar com os conceitos abordados. A distribuição do Material Educativo é gratuita.

Escolas da rede municipal de Viamão e outras instituições culturais estiveram representadas na formação. Foto de Prefeitura de Viamão.

 

Cerca de 60 escolas viamonenses estiveram representadas na formação, que faz parte das ações contempladas pela recente renovação do Termo de Cooperação entre a FVCB e a SME de Viamão. Foi um momento de trocas e de muitas aprendizagens!

E logo realizaremos novas atividades formativas. Acompanhe a FVCB e fique por dentro das novidades!

Fotografias da série “On Ice” na 5ª ARCOLisboa

Seis fotografias da série On Ice da artista Vera Chaves Barcellos estão em exibição na Feira de Arte Contemporânea #ARCOLisboa 2022, realizada pelo grupo espanhol Ifema/Madrid, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, em Portugal.

O evento teve início na quinta-feira, 19/05, e encerra neste domingo, 22/05.

Estande da galeria Zielinsky na 5ª edição da Feira #ARCOLisboa, em Portugal. Foto de Rodrigo Gatinho.

As obras fazem parte do estande da galeria Zielinsky, que também reúne trabalhos de Guillermo García Cruz e Shirley Paes Leme. O espaço também apresenta o mobiliário com design brasileiro, cedido pela QuartoSala – Home Culture: cadeiras Julia de Sérgio Rodrigues e mesa Bizzet por Jader Almeida.

On Ice exposta na parede à esquerda. Foto de Rodrigo Gatinho.

A série On Ice foi realizada por Vera Chaves Barcellos em 1978, a partir de uma performance de Flavio Pons e Cláudio Goulart na superfície congelada de um lago em Amsterdã. Recentemente, foi adquirida pelo Museo de Arte Contemporáneo de Barcelona (MACBA), por intermédio da galeria Zielinsky.

Em texto de Monica Tinoco – que está em Lisboa –, publicado no site da revista seLecT, a série On Ice está entre os destaques do Programa Geral da 5ª edição da #ARCOLisboa.

Obras de Vera Chaves Barcellos na SP-Arte 2022

A videoperformance No a la Guerra (2007) e a série de fotografias O estranho desaparecimento de V.C.B. (1976-2020), da artista Vera Chaves Barcellos, estão expostas no estande da Galeria Zielinsky [@galeriazielinsky] na SP–Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo [@sp_arte].

Frame da videoperformance No a la Guerra, 2007. Disponível no canal do YouTube da FVCB. Crédito da imagem: Acervo FVCB.

 

O estranho desaparecimento de V.C.B., 1976-2020. Crédito da imagem: Acervo FVCB.

Em sua 18ª edição, a feira conta com 100 galerias de arte e mais de 30 estúdios de design, além de editoras e participações institucionais espalhadas em três pisos do Pavilhão da Bienal (Parque Ibirapuera, SP). O evento teve início na quarta-feira, 06/04, e segue até domingo, 10/04.

No espaço da Galeria Zielinsky, também podem ser conferidas obras de Romy Pocztaruk, Leonardo Finotti, Guillermo García Cruz e Yamandú Canosa, além do mobiliário do designer Gustavo Bittencourt.

 

Estande da Galeria Zielinsky na SP-Arte. Crédito da imagem: Filipe Berndt / Galeria Zielinsky.

 

Os trabalhos estão agrupados em duas linhas de investigação: por um lado, tem-se a herança do abstracionismo geométrico; e, por outro, uma pesquisa voltada para as questões políticas e sociais.

Quem estiver em São Paulo tem até domingo para visitar o estande da @galeriazielinsky e as demais programações da @sp_arte!

Obra da artista Maria Tomaselli na exposição “80′s”

Uma das obras de grande formato que pode ser conferida na mostra inédita 80’s é Conversas (1986), da artista Maria Tomaselli (Innsbruck, Áustria, 1941), que integra a Coleção da Galeria Duque Espaço Cultural.

Conversas, 1986. Acrílica sobre tela. Coleção da Galeria Duque Espaço Cultural. Crédito da imagem: Leopoldo Plentz.

Exposta no térreo da Sala dos Pomares, esta pintura figurativa em acrílica sobre tela apresenta uma gama de pigmentações variadas, com planos mais definidos pelas manchas das cores do que por linhas. As diversas figuras evocam, ainda, o vasto repertório onírico da artista.

Radicada em Porto Alegre, Tomaselli tem atuado, principalmente, como pintora e gravadora, mas também possui trabalhos em escultura, instalação, vídeo, animação computadorizada e ilustração. Estudou desenho e filosofia na Áustria, onde conheceu o intelectual gaúcho Carlos Roberto Velho Cirne Lima, com quem se casou em 1965, mesmo ano em que o casal veio para o Brasil. Aqui, estudou pintura com Iberê Camargo, escultura com Xico Stockinger e gravura com Danúbio Gonçalves, Eduardo Sued e Anna Letycia Quadros.

Já participou de inúmeras exposições, coletivas e individuais, no Brasil, na Europa e América Latina. Nos últimos anos, tem se dedicado em paralelo à escrita. Foi assim com Kai (2015), relato autobiográfico, Vito (2017), livro de contos em que aborda a condição do artista, e Azelene (2019), seu primeiro exercício de ficção a partir das vivências como ministrante de oficinas de arte no Presídio Central de Porto Alegre, que realizava em conjunto com Iberê Camargo. A trajetória da artista e um panorama de sua obra está documentada no livro Maria Tomaselli, das organizadoras Marcia Tiburi e Denise Mattar.

 

Exposição 80′s

Agende sua visita pelo telefone (51) 98229 3031 ou pelo e-mail educativo.fvcb@gmail.com. A entrada é gratuita.

Obra do artista Alphonsus Benetti na exposição “80′s”

Entre as obras que integram a mostra inédita 80’s, apresentamos um óleo sobre tela de Alphonsus Benetti (Faxinal do Soturno, RS, 1953), conhecido, principalmente, pela sua produção na esfera da pintura.

Graduado em Licenciatura em Educação Artística e em Bacharelado em Pintura, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Benetti também realizou o Mestrado em Educação na referida instituição, com uma abordagem sobre a temática “Pedagogia da Pintura”.

No decorrer de sua carreira, além de pintor e docente, com diversos artigos e capítulos de livros publicados, Benetti também trabalhou com desenho e xilogravura. Sua produção artística tem sido intensa, com participação em exposições individuais e coletivas em inúmeras cidades brasileiras e no exterior.

Sem título, 1987. Óleo sobre tela. Coleção Artistas Contemporâneos FVCB. Crédito da imagem: Leopoldo Plentz.

A tela Sem título (1987), que faz parte das aquisições recentes da Coleção Artistas Contemporâneos FVCB, está localizada na parede à esquerda de quem adentra a Sala dos Pomares, próxima das escadas de acesso ao segundo andar. Trata-se de uma pintura (óleo sobre tela), mesclando elementos abstratos e figurativos.

Nas palavras do artista: “Eu sempre gostei, desde o início, da figura humana como um referencial, com o qual realmente acabei me envolvendo de imediato por uma questão de gostar, questões expressivas, questões pelas quais a figura me interessa. Não que eu ache os outros temas menores, mas acabei sempre trabalhando com a figura humana”. (Trecho de entrevista¹ com Alphonsus Benetti concedida para Luana de Siqueira Brasil, 2009).

¹ BRASIL, Luana de Siqueira. Reflexões sobre a série “Musas Inquietantes – Revisitando 1994 de Alphonsus Benetti. Ayrton Dutra Corrêa. 2012. 140f. Dissertação (Mestrado) Curso do Programa de Pós-Graduação de Artes Visuais, Centro de Artes e Letras da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria/RS, 2012.

 

Exposição 80’s

Agende sua visita pelo telefone (51) 98229 3031 ou pelo e-mail educativo.fvcb@gmail.com. A entrada é gratuita.

Obra de Vera Chaves Barcellos na exposição “Modernos”, do MAB FAAP

A obra O sorriso, 1969, de Vera Chaves Barcellos, integra a exposição Modernos, alusiva ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

O sorriso, 1969. Xilogravura em cores sobre papel, tiragem 18/30. 91 x 61 cm. Crédito: Acervo FVCB.

 

A mostra, apresentada pelo Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (MAB FAAP), em São Paulo, está dividida em dois grandes núcleos: Antes de 1922, com curadoria de Felipe Chaimovich, fica em cartaz por três meses, e Depois de 1922, com curadoria de Laura Rodríguez, segue até novembro.

 Exposição Modernos. Crédito da imagem: Divulgação / MAB FAAP

O núcleo Antes de 1922 contempla o envolvimento da família Prado – considerada uma das mais influentes famílias paulistas – com as artes, incluindo o financiamento da Semana de 1922 pelo mecenas Paulo Prado (1869 – 1943), um dos principais incentivadores do movimento.

A xilogravura em cores sobre papel de Vera Chaves Barcellos – doada ao MAB FAAP – está inserida no segundo núcleo da exposição, com uma seleção de artistas que surgiram depois de 1930. Trata-se de um eixo dedicado à ebulição característica das vanguardas até o surgimento dos grupos concretistas.

Até o fim da exposição, em novembro, o núcleo Depois de 1922 contará com obras de 119 artistas, incluindo Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Anna Bella Geiger, Anna Maria Maiolino, Candido Portinari, Carlos Scliar, Fayga Ostrower, Xico Stockinger, Mira Schendel, Lygia Clark, Vasco Prado, Tomie Ohtake, Wesley Duke Lee, entre tantos outros.

Obras da artista Anna Bella Geiger na exposição “80′s”

Entre as obras em exibição na mostra inédita 80’s  que integram a Coleção Artistas Contemporâneos FVCB, logo nas paredes laterais da entrada do espaço expositivo da FVCB, o público se depara com as telas elípticas e acolchoadas da artista brasileira Anna Bella Geiger (Rio de Janeiro, RJ, 1933).

EW 18 Curva Cubista (1988) e EW 18 com azuis e ocres (1981) fazem parte da série Macios como ilusões abstratas (óleo e acrílica sobre tela), em que predomina o abstrato, refletindo uma fase da trajetória de Geiger em que ela avalia criticamente a história da pintura e seus próprios trabalhos.

EW 18 Curva Cubista, da série Macios como ilusões abstratas, 1988.
Acrílica sobre tela. Coleção Artistas Contemporâneos FVCB. Crédito da imagem: Lepoldo Plentz.

 

EW 18 com azuis e ocres, da série Macios como ilusões abstratas, 1981.
Óleo e acrílica sobre tela. Coleção Artistas Contemporâneos FVCB. Crédito da imagem: Lepoldo Plentz.

 

No segundo andar da Sala dos Pomares, temos uma fotogravura em metal, clichê e serigrafia. Local da ação nº 8 (1980) propõe uma reflexão sobre as implicações políticas que atuam em nossa percepção do espaço mundial. Nas palavras de Adolfo Montejo Navas, poeta e crítico de arte, a série Local da ação, de Anna Bella Geiger, juntamente com a obra Fronteiriços, rementem a uma cartografia conceitual, funcionando como obras-correções de esquemas eurocêntricos.

Local da ação n°8, 1980.
Fotogravura em metal, clichê e serigrafia. Coleção Artistas Contemporâneos FVCB. Crédito da imagem: Acervo FVCB.

 

Prestes a completar 89 anos no dia 4 de abril, Anna Bella Geiger acumula em seu currículo diversas atuações: escultora, pintora, gravadora, desenhista, artista intermídia e professora. Trata-se de uma das principais artistas do cenário brasileiro, com uma obra marcada pelo uso de diversas linguagens e a exploração de novos materiais e suportes.

 

Exposição 80′s
Agende sua visita pelo telefone (51) 98229 3031 ou pelo e-mail educativo.fvcb@gmail.com. A entrada é gratuita.