facebook youtube

Notícias

(24/02/21) Vera Chaves Barcellos participa de exposição coletiva na Galeria Superfície, em São Paulo


A Galeria Superfície inaugura hoje, 24 de fevereiro, a exposição coletiva “O Ventre da Terra”. Tendo como ponto de partida a obra intitulada “Passagem”, da artista Celeida Tostes (1929–1995), a exposição reúne um conjunto de obras que tratam de temas relativos à fertilidade, ao nascimento, à vida e à morte. Um olhar para o lugar de origem, para os processos que são próprios da natureza humana, dos ciclos que se iniciam e se encerram na terra.

Vera Chaves Barcellos participa com a obra Epidermic Scapes (1977-1982). A artista passa a ser representada pela galeria a partir deste ano.



A exposição apresenta obras históricas dos artistas: Amelia Toledo, Ana Mendieta, Anna Bella Geiger, Anna Maria Maiolino, Amelia Toledo, Celeida Tostes, Hélio Eichbauer, Lotus Lobo, Mara Alvares, Neide Sá, Nydia Negromonte, Péricles Eugênio da Silva, Sérvulo Esmeraldo, Tunga e Vera Chaves Barcellos.

Desenvolvida em parceria com o estúdio de arquitetura MNMA, a expografia foi toda feita em terra, utilizando a técnica ancestral de construção com adobe e taipa. A exposição fica em exibição até o dia 17 de abril.

(24/02/21) Vera Chaves Barcellos participa da exposição coletiva 47% – Artistas mulheres no acervo do MACRS

Após mais de dez meses fechado para os visitantes em função das medidas de segurança sanitária e de combate à disseminação da Covid-19, o Museu de Arte Contemporânea do RS (MACRS) anuncia a sua tão aguardada reabertura ao público, no dia 11 de fevereiro, com a inauguração da exposição “47% – Artistas mulheres no acervo do MACRS”.

A mostra conta com curadoria de Cristina Barros, Marina Roncatto, Mel Ferrari e Nina Sanmartin, pesquisadoras do projeto Mulheres nos Acervos.

As obras estarão expostas nas galerias Sotero Cosme e Xico Stockinger (6º andar), Sala Augusto Meyer (3º andar) e Virgílio Calegari (7º andar), da Casa de Cultura Mario Quintana. O horário de visitação é das 10h às 18h, mediante agendamento pelo e-mail (visitaccmq@gmail.com).


(17/02/21) Galería José de la Mano inaugura exposição individual de Claudio Goulart

 

No dia 18 de fevereiro, a Galería José de la Mano, em Madrid, inaugura a exposição individual CLAUDIO GOULART. Retrato íntimo [Brasil-Amsterdam]. Com curadoria de Ricardo Recuero, a exposição conta com diversas obras do artista brasileiro/holandês e acontece até dia 04 de abril de 2021.

Claudio Goulart viveu e produziu sua obra em Amsterdã a partir de meados da década de 1970 até sua morte, em 2005, e fez parte de diversos projetos internacionais expondo em países como Holanda, Portugal, Espanha, Alemanha, Suíça, Inglaterra, Cuba, México, Japão, entre outros. A Fundação Vera Chaves Barcellos é detentora de grande parte da produção do artista, adquirida através de doação realizada pela Fundação Art Zone — instituição holandesa criada ainda em vida por Goulart. Em 2019, a FVCB exibiu parte deste material na mostra individual Claudio Goulart | Quando o horizonte é tão vasto, com curadoria de Fernanda Soares da Rosa.

Pinacoteca de São Paulo adquire série de obras de Vera Chaves Barcellos

Seis fotografias da série Epidermic Scapes (1977-82), da artista Vera Chaves Barcellos, foram adquiridas pela Pinacoteca. A compra realizada com os recursos do grupo em 2020 conta com 27 obras, dentre elas três trabalhos de artistas mulheres, nove de artistas contemporâneos indígenas e obras históricas da arte brasileira, como uma escultura do Mestre Didi da década de 80.

 

Vera Chaves Barcellos e Patricio Farías participam de exposição comemorativa de 40 anos da Galeria Bolsa de Arte

A exposição ‘Avante’, com curadoria de Henrique Menezes, acontece entre os dias 01 de dezembro a 12 de fevereiro de 2021, em Porto Alegre, e conta também com outros artistas representados pela galeria.

Inaugurada em 1980 em Porto Alegre, a Bolsa de Arte presenciou — e igualmente atuou para impulsionar — a consolidação da arte no extremo Sul do país. Em quatro décadas, a galeria apresentou mais de 250 exposições distribuídas entre os endereços de Porto Alegre e, desde 2014, também na filial em São Paulo.

 

Obra de Vera Chaves Barcellos participa de coleção da Noite dos Museus em Casa

A Noite dos Museus acontece dia 5/12, a partir das 18h, com atrações, curiosidades sobre o mundo das artes, surpresas ao vivo e muito mais em uma transmissão online para você mobilizar sem aglomerar. A coleção “Noite dos Museus em Casa” é uma série de 15 reproduções de obras e objetos históricos de museus participantes do evento. A renda será revertida para as instituições participantes. A Pinacoteca Aldo Locatelli está participando com uma xilogravura da Vera Chaves Barcellos.

“Despertar” foi criada em 1973 por Vera Chaves Barcellos. A gravura, integrante do acervo da Pinacoteca Aldo Locatelli, corta uma incisão atual na velha ferida que não se fecha: a dualidade entre a natureza, entendida como forma viva e bruta, e a cultura materializada na ação humana. Foto: F.Zago-StudioZ.

Você pode conferir as obras participantes da ação clicando aqui.

Vera Chaves Barcellos participa de exposição coletiva na Espanha

A Galeria Zielinsky, em Barcelona, apresenta a exposição coletiva  The Witches: How Splendid!, composta por filmes, fotografias e desenhos das artistas Vera Chaves Barcellos, Virginia Patrone e Romy Pocztaruk. A exposição mostra a produção de três artistas mulheres de diferentes períodos e contextos, através de um ponto inicial comum: a perspectiva de gênero.

The Witches: How Splendid! faz parte do Loop Barcelona Festival 2020 e fica disponível de 10 de novembro de 2020 a 15 de janeiro de 2021.

Em destaque, a obra de Vera Chaves Barcellos, Per(so)nas, 1980-82, série fotográfica.

Créditos da imagem: Galeria Zielinsky

Sala dos Pomares recebe visitas após reabertura

Após reabertura no dia 5 de outubro, a FVCB vem, aos poucos, recebendo visitas espontâneas na Sala dos Pomares, com retornos muito positivos e elogiosos à exposição MUNTADAS/SILVEIRA. Diálogos. MUNDO, ARTE, VIDA.

Destaque para as visitas dos membros do Conselho Deliberativo da FVCB, Marlies Ritter, Jorge Ritter, Pedro Chaves Barcellos e Paulo Silveira, e de Emílio Kalil, diretor da Fundação Iberê Camargo.

As visitas ocorrem seguindo de forma responsável os protocolos de prevenção recomendados pelos órgãos oficiais. O uso de máscara de proteção é obrigatório e, por ora, as visitas estão restritas somente ao público adulto.

 SERVIÇO –  Agendamentos para visita à Sala dos Pomares a partir do dia 05 de outubro. Visitas individuais ou grupos de, no máximo, 08 pessoas por horário.

- Horários disponíveis:

segundas, das 13h30min às 17h30min;

quartas, das 09h às 13h;

quintas, das 13h30min às 17h30min.

sábados (não necessita agendamento), das 13h às 17h

- Agendamentos pelo telefone: (51) 9 8229 3031 ou e-mail: educativo.fvcb@gmail.com com, no mínimo, 24h de antecedência.

FVCB informa reabertura da Sala dos Pomares

 

Conforme Decreto 55.495/2020, publicado no dia 21 de setembro, a FVCB ultima os preparativos para o recebimento do público à exposição MUNTADAS/SILVEIRA. Diálogos. MUNDO, ARTE, VIDA.

As visitas serão disponibilizadas a partir do dia 05/10, segunda-feira, seguindo de forma responsável os protocolos de prevenção recomendados pelos órgãos oficiais. O uso de máscara de proteção é obrigatório e, por ora, as visitas estão restritas somente ao público adulto.

SERVIÇO – Agendamentos para visita à Sala dos Pomares a partir do dia 05 de outubro. Visitas individuais ou grupos de, no máximo, 08 pessoas por horário.

- Horários disponíveis:

segundas, das 13h30min às 17h30min;

quartas, das 09h às 13h;

quintas, das 13h30min às 17h30min.

- Agendamentos pelo telefone: (51) 9 8229 3031 ou e-mail: educativo.fvcb@gmail.com com, no mínimo, 24h de antecedência.

Revista Pandemônio

Foram publicadas 3 edições da Revista Pandemônio, organizada por Adolfo Montejo Navas e Celina Almeida Neves, pela editora Limiar Edições Extraordinárias. 

As edições contam com trabalhos de Vera Chaves Barcellos e Patricio Farías, incluindo diversos trabalhos inéditos, alguns produzidos durante o isolamento social.

As edições podem ser acessadas na página da editora no ISSUU

 

PANDEMÔNIO_1_3 by Limiar edições extraordinárias – issuu

Diante de um espraiado pandemonium, origem do nome para uma publicação de tempos críticos, PANDEMÔNIO, em revista, celebra uma colaboração coletiva, eclética e politeísta, em grau de alteridade perceptiva e em busca de uma outra linha de horizonte simbólica, irredenta. Uma produção que mantém sua dramaturgia epocal como latência, sismografia, metamorfose imagética, textual, crítica.

 

PANDEMÔNIO_2_3 by Limiar edições extraordinárias – issuu

PANDEMÔNIO, em revista continua o diálogo e, sobretudo o mergulho, na nova fantasmagoria histórica, criadora de tantos espectros, ainda que em outra linha divisória, mais próxima de uma subjetividade impelida a se reinventar. Esse novo diapasão ou essa dobra onde o sujeito que somos agora está inscrito criticamente, mais que nunca, no redesenho de novas dimensões, interrogações, dialogias.

 

PANDEMÔNIO_3_3 by Limiar edições extraordinárias – issuu

Fechando um ciclo (outono – inverno) assoberbado de acontecimentos e convocando outra estação mais valiosa e favorável, aparece, nessa troca de equinócio, a defesa de um radar sensível de signos, sempre a compartilhar, atento ainda ao que dimensiona a parte digna de nossa incógnita condição, tão confrontada quanto ressurreta. Uma terceira entrega de PANDEMÔNIO que revisita, sem esquecer a história, a relação vida – mundo.