facebook youtube

Agenda

14/11: Ciclo de Palestras – Apropriação em Artes – 2° DIA

A Fundação Vera Chaves Barcellos promove no dia 14 de novembro de 2018, das 14:30 às 17:00, no Salão de Festas da Reitoria da UFRGS, o segundo encontro do “Ciclo de Palestras – Apropriações”, atividade paralela à exposição “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos”. 

O objetivo do ciclo é abordar o conceito de apropriação aplicado em distintas áreas de atuação cultural, somando três encontros com pesquisadores.

Entrada gratuita.
Será fornecido certificado aos participantes.

PROGRAMAÇÃO DO 2°DIA:

> “Design e Artesanato: uma via de mão dupla?” com Maria do Carmo Curtis.

> “A natureza impura do cinema: de Bazin aos dias atuais” com Daniela Strack.

__________________
Sobre os palestrantes:
Maria do Carmo Curtis (UFRGS): Doutora em Design pela UFRGS. Bacharel em Artes Plásticas – Desenho pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991), licenciada em Educação Artística – Habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1985) e mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997). Tem interesse em Design Social, História do Design e Ensino em Design.

Daniela Strack: Graduada em Produção Audiovisual na PUCRS, trabalhou na produtora Rainer Cine, de 2012 à 2014. Atualmente, trabalha como montadora e assistente de direção para cinema e televisão. Como assistente de direção, destaca o longa-metragem “Tinta Bruta” (2018), vencedor do prêmio Teddy no 68º Festival de Berlim. É membro da ACCIRS (Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul), do Coletivo Elviras de Mulheres Críticas de Cinema e uma das idealizadoras do Cineclube Academia das Musas, este último com foco no estudo de produções dirigidas por mulheres.

__________________

“Ciclo de Palestras – Apropriações”, atividade paralela à exposição “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos”.
Dia: 14 de novembro de 2018 | QUARTA-FEIRA
Horário: das 14:30 às 17:00
Local: Salão de Festas da Reitoria UFRGS (Av. Paulo Gama, 110, Bom Fim, Porto Alegre)

Realização: Fundação Vera Chaves Barcellos
Apoio: Difusão Cultural – UFRGS

07/11: Ciclo de Palestras – Apropriação em Artes – 1° DIA

A Fundação Vera Chaves Barcellos promove no dia 07 de novembro de 2018, das 14:30 às 17:00, no auditório Goethe-Institut Porto Alegre, o primeiro encontro do “Ciclo de Palestras – Apropriação em Artes”, atividade paralela à exposição “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos”.

O objetivo do ciclo é abordar o conceito de apropriação aplicado em distintas áreas de atuação cultural e ao todo serão três encontros. Entrada gratuita e será fornecido certificado aos participantes.

PROGRAMAÇÃO DO 1°DIA

> “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos: diálogos com a exposição” com Margarita Kremer e Yuri Flores Machado.

> “Arte e apropriação: do objeto à linguagem” com Eduardo Veras.

 

SOBRE OS PALESTRANTES

Eduardo Veras (UFRGS): Professor Adjunto do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atua no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV) e no Bacharelado em História da Arte. É Doutor (2012) e Mestre (2006) pelo PPGAV/UFRGS, com ênfase em História, Teoria e Crítica de Arte. Tem experiência nos seguintes temas: história da arte, historiografia da arte, crítica de arte, relações entre palavra e imagem, entrevistas com artistas, arte conceitual e arte contemporânea. Atualmente pesquisa artistas em deslocamento (viagens, trânsitos, derivas, observações da paisagem), estabelecendo pontes, via anacronismo histórico, entre a contemporaneidade e a tradição.

Marga Kremer (FVCB): Arte-educadora, bacharel em Artes Visuais pela UFRGS e foi Professora substituta do Instituto de Artes. Coordenadora do Setor Educativo da Fundação Vera Chaves Barcellos e foi Coordenadora Educativa das três primeiras Bienais do Mercosul. Exerceu durante a sua trajetória profissional, diversas atividades de assessoria educativa em instituições públicas e privadas.

Yuri Flores Machado (FVCB): Graduando em História da Arte pela UFRGS, assistente educativo no Setor educativo e no Centro de Documentação e Pesquisa da FVCB, onde atualmente, é responsável pela produção dos materiais educativos do Programa Educativo da instituição.

____________________

SERVIÇO

“Ciclo de Palestras – Apropriação em Artes”, atividade paralela à exposição “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos”.

Dia: 07 de novembro de 2018 | QUARTA

Horário: das 14:30 às 17:00

Local: Goethe-Institut Porto Alegre (Rua Vinte e Quatro de Outubro, 112, Porto Alegre)

Realização: Fundação Vera Chaves Barcellos

Apoio: Goethe-Institut Porto Alegre

A Exposição “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos” fica em cartaz na Sala dos Pomares, na FVCB, em Viamão, até o dia 15 de dezembro.

FVCB e FIC convidam: Abertura da instalação HNWI de Patricio Farías e lançamento do livro “Patricio Farías”

De 27 de outubro de 2018 a 6 de janeiro de 2019, a Fundação Iberê Camargo, exibe a instalação HNWI, do artista multimídia e escultor Patricio Farías. Com curadoria de Adolfo Montejo Navas, a obra monumental – uma grande mala de viagem, em tamanho 2×3 metros, repleta de dinheiro – será inaugurada no dia 27 de outubro (sábado) e ficará em exibição no pátio da Instituição. Na ocasião, o artista lança o livro “Patricio Farías”, organizado por Adolfo Montejo Navas, às 17 horas horas.

Segundo Navas, a instalação é dessacralizadora, satírica e política: “Não há como negar que o trabalho do artista é atual, quase jornalístico, mas sobretudo se inscreve nas obras-radiografias do Brasil contemporâneo”. HNWI refere-se, em inglês, a high net world individuals, ou seja, aos indivíduos que são detentores de fortunas de mais de US$ 1 milhão. Segundo a agência New World Wealth, o Brasil está no sétimo lugar na fuga de capitais no mundo (dados de 2017), significando que 2.000 milionários brasileiros fizeram suas malas como emigrantes classe A.

Para o curador, a instalação de Patricio Farias “joga com as desequivalências ocultas, subliminares, com as dimensões do conteúdo ao que alude, respirando sua pertinência como obra política, sendo porém uma peça metalinguística e metacultural”. E finaliza: “Como ferida, ela é um totem artístico que, todavia, responde a um tabu sociocultural”.

Sobre o livro “Patricio Farías”:
O livro recapitula a trajetória do artista chileno Patricio Farías. Organizado pelo poeta e crítico espanhol Adolfo Montejo Navas, a publicação editada pela Iluminuras tem 368 páginas e capa dura, ricamente ilustrada com imagens e textos críticos sobre sua produção. O projeto gráfico é da designer Raquel Castedo | Roka Estúdio. Os primeiros 30 participantes da sessão de autógrafos receberão o livro como cortesia.

_____________________________

Patricio Farías é escultor e artista multimídia chileno, radicado no Brasil. Frequentou cursos de Desenho na Escuela de Bellas Artes de la Universidad de Chile entre 1964 e 1968, onde licenciou-se em Artes Plásticas em 1972, e foi professor de Desenho e Expressão Gráfica entre 1969 e 1975. Mudou-se para Porto Alegre/RS, Brasil, em 1983, onde lecionou Desenho e Serigrafia no Atelier Livre da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e no Museu de Arte do Rio Grande do Sul. A partir de 1970 até o presente realiza inúmeras exposições no Chile, Brasil, Alemanha e Espanha. Entre 1989 e 1996 pertenceu ao corpo de artistas da Galeria Artual. A partir de 1985, desenvolve farta obra escultórica, também realizando incursões na área de vídeo e fotografia e na utilização de imagens apropriadas. Divide seu tempo entre seus estúdios em Viamão, Brasil e Barcelona, Espanha.

Adolfo Montejo Navas é poeta, crítico e curador independente. Colabora com diversos veículos culturais, é correspondente da revista de arte internacional Lápiz, de Madri, desde o fim dos anos 1990, e foi editor da revista DASartes. Coordena a Limiar edições extraordinárias, uma editora de autor. Suas curadorias mais recentes foram FotografiaTransversa (Fundação Vera Chaves Barcellos, 2014), Ana Vitória Mussi – Imagética (com Marisa Flórido César, Paço Imperial, 2015) e Fotoimagens (Casa da Imagem, 2016). Recebeu diversas bolsas de tradução, o Prêmio Mário Pedrosa de Ensaio de Arte e Cultura Contemporânea, em 2009, e o XV Prêmio Marc Ferrez de Fotografia (categoria Teoria e Crítica) em 2015. Em 2016 foi honrado com o título de Notório Saber em Artes pela UFRGS. Como artista visual tem realizado diversas exposições, sempre na fronteira da palavra-imagem-livro-objeto, entre elas, a individual Moto contínuo (Projeto Degraus, Escritório de Arte Ypsilone, sp, 2016).

Foto: Leopoldo Plentz

 

 

 

22 de Setembro: Abertura “Apropriações, Variações e Neopalimpsestos”

No dia 22 de setembro de 2018, a partir das 11h, a Fundação Vera Chaves Barcellos inaugura a exposição coletivaApropriações, Variações e Neopalimpsestos,que reúne trabalhos de mais de 30 artistas, entre brasileiros e estrangeiros, pertencentes ao acervo artístico da FVCB.

A mostra conta também com obras dos artistas Ismael Monticelli, Romy Pocztaruk, Virginia de Medeiros e do Coletivo Slavs and Tatars, especialmente convidados para a exposição. No mesmo dia, teremos o primeiro encontro do Curso de Formação Continuada em Artes, com visita mediada à exposição oferecida aos professores e educadores inscritos (às 10h).

 Acompanhando a abertura, acontecerá o lançamento de dois catálogos de exposições que ocorreram anteriormente na Fundação Vera Chaves Barcellos: (2017/02) e A Condição Básica (2018/01). Amplamente ilustradas, as publicações apresentam os textos curatoriais em português e em inglês. Distribuição gratuita. A curadoria da exposição foi do duo de artistas Ío e a da exposição A Condição Básica foi da equipe da Fundação.

 As atividades integram a 12ª primavera dos museus que ocorre de 17 a 23 de setembro de 2018 e é organizada pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

 Para o evento a FVCB disponibilizará transporte gratuito em dois horários: às 11h e às 14h, com saídas em frente ao Theatro São Pedro, Centro Histórico de Porto Alegre. Inscrição prévia: info@fvcb.com | (51) 3228-1445 e (51) 98102-1059.

 SERVIÇO
Quando:
22 de SETEMBRO de 2018, SÁBADO, DAS 11 ÀS 17H.
Onde: Fundação Vera Chaves Barcellos – Av. Senador Salgado Filho, 8450|Viamão/RS.

Inscrições para o ônibus da abertura:info@fvcb.com| (51) 3228-1445 | (51) 9848-5994.

Visitação até 15 de dezembro de 2018.

Agendamento prévio das visitas: educativo@fvcb.com | (51) 98229 3031.

A Condição Básica: A presença na videoarte | Atividade paralela

A Fundação Vera Chaves Barcellos convida para “A Condição Básica: a presença na videoarte”. O evento será no Instituto de Artes da UFRGS e é uma atividade paralela à exposição “A Condição Básica”, em cartaz na Sala dos Pomares até o dia 28/07.

Na tarde de terça-feira, dia 17 de julho, a partir das 15h, serão exibidos os quatro vídeos que fazem parte da exposição coletiva “A Condição Básica” e, na sequencia, a artista, pesquisadora e professora Elaine Tedesco irá comentá-los, dando enfoque ao exercício de apropriação realizado pelos artistas e em outras produções da videoarte.

A entrada é gratuita e a FVCB emite certificado de participação. A atividade ocorrerá na sala ex 63G no sexto andar do Instituto de Artes (Senhor dos Passos, 248, Centro, Porto Alegre)

Vídeos:
- Sancta Sanctorum, 2005, de Alejandra Andrade;
- Nine out of ten movie stars make me cry (I’m alive), s/d, de Claudio Goulart;
- Tarzan of Tarzans, 1992, de Claudio Goulart;
- Bandeira, 2006, de Patricio Farías.

 

SEGUNDA SESSÃO | Documentário “Nervo Óptico, um olhar global na solidão local”

A Fundação Vera Chaves Barcellos convida todos para a segunda sessão de lançamento do documentário “Nervo Óptico, um olhar global na solidão local” que ocorrerá no  Goethe-Institut Porto Alegre (Av. Vinte e Quatro de Outubro, 112, Porto Alegre, RS).

O documentário foi produzido e financiado pela Fundação Vera Chaves Barcellos. A realização é das produtoras  Flow Films e Ph7 Filmes.

”Nervo Óptico, um olhar global na solidão local” é um documentário que trata da atuação do Grupo Nervo Óptico, criado em 1976, em Porto Alegre, que teve como principais objetivos discutir a produção da arte contemporânea, questionar as imposições do mercado e promover a renovação das linguagens. Os componentes do grupo exploraram o caráter experimental da arte, produzindo debates, exposições, intervenções e ações no espaço urbano, com intenso emprego da fotografia. O documentário traz um resgate dessa produção, 40 anos depois, incluindo, além de entrevistas com os artistas integrantes do grupo (Carlos Asp, Carlos Pasquetti, Clovis Dariano, Mara Alvares, Telmo Lanes e Vera Chaves Barcellos), depoimentos de outros artistas e críticos importantes da área.

Confira o Trailer no nosso Canal do Youtube: https://youtu.be/uzoOaBOf-6Q

>>> 05 DE JULHO | QUINTA-FEIRA | 19H | Goethe-Institut Porto Alegre: https://www.facebook.com/events/458839844560518/

Após a exibição do documentário, conversa aberta com a pesquisadora Ana Albani.

Todos convidados! Aguardamos vocês!

Nervo Óptico, um olhar global na solidão local | Lançamento do Documentário em duas sessões

A Fundação Vera Chaves Barcellos convida todos para o lançamento do documentário “Nervo Óptico, um olhar global na solidão local”. Uma produção Fundação Vera Chaves Barcellos, Flow Films e Ph7 Filmes.

 ”Nervo Óptico, um olhar global na solidão local” é um documentário que trata da atuação do Grupo Nervo Óptico, criado em 1976, em Porto Alegre, que teve como principais objetivos discutir a produção da arte contemporânea, questionar as imposições do mercado e promover a renovação das linguagens. Os componentes do grupo exploraram o caráter experimental da arte, produzindo debates, exposições, intervenções e ações no espaço urbano, com intenso emprego da fotografia. O documentário traz um resgate dessa produção, 40 anos depois, incluindo, além de entrevistas com os artistas integrantes do grupo (Carlos Asp, Carlos Pasquetti, Clovis Dariano, Mara Alvares, Telmo Lanes e Vera Chaves Barcellos), depoimentos de outros artistas e críticos importantes da área.

Para o lançamento, preparamos duas sessões:
>>> 01 DE JULHO | DOMINGO | 16H | Fundação Iberê Camargo: https://www.facebook.com/events/1552212364907829/

>>> 05 DE JULHO | QUINTA-FEIRA | 19H | Goethe-Institut Porto Alegrehttps://www.facebook.com/events/458839844560518/

Após a exibição do documentário, conversa aberta com a pesquisadora Ana Albani.

Todos convidados! Aguardamos vocês!
______________________

Karine Emerich é cineasta, jornalista, especialista em cinema e televisão pela EICTC e em comunicação popular, e trabalha com produção audiovisual há mais de 30 anos. Entre 1991 e 1990 morou em Lisboa e fez criação e direção de programas para televisão, exibidos nos canais RTP, SIC e TVi, através do Núcleo de Projetos Especiais da Panavídeo. Em Porto Alegre, trabalhou na Cooperativa de Vídeo, depois Casanova Filmes, onde coordenou a reformulação da produtora e desenvolveu a área de produção de conteúdo independente. Desde 2007, através da ph7 filmes atua como roteirista, diretora e produtora criativa e parceira de outros autores na concretização de suas ideias fílmicas. Hopi Chapman é proprietário da produtora Flow Filmes em Porto Alegre/RS, desde 2007. Holandês e mestre em Cinema e TV pela Universidade de Amsterdam, atuou na Holanda e no Brasil em vídeos institucionais, comerciais, programas de TV e documentários. Hopi traz para a produtora sua bagagem, desde 1995, experiências diversas, como diretor, diretor de fotografia e montador. Seus documentários já foram exibidos em museus, festivais de cinema em Amsterdam, Porto Alegre, Gramado, São Paulo, Vitória, Campinas e nos canais de televisão SESCTV, Arte1, TV Box Brasil, Canal Curta, TV Justiça e TVE/RS. Atualmente dirige a série documental Culturando, sobre jovens e suas atividades artísticas e culturais, com estreia prevista para o segundo semestre na TV Brasil.

Ana Maria Albani de Carvalho é doutora em Artes Visuais – História, Teoria e Crítica pela UFRGS e professora-pesquisadora junto ao Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais e ao Departamento de Artes Visuais da UFRGS, desde 1996. Desde os anos 1990 atua como curadora independente, com exposições realizadas em diversas instituições, como Fundação Iberê Camargo, Santander Cultural, MARGS, MACRS, Pinacoteca do Instituto de Artes da UFRGS, entre públicas e privadas. Destaca-se as mostras “Nervo Óptico 40 anos”, no (Centro Cultural São Paulo, 2016/2017), “Nervo Óptico – Poéticas Visuais (1994), “Espaço N.O. – Expo Documental” (Edital Fumproarte, 1995), “Coleção Rubem Knijinik – Arte Brasileira Contemporânea (MARGS, 2001), “Pedro Escosteguy: Poéticas Visuais (MARGS, 2003), “A Medida do Gesto – um panorama do Acervo do MACRS (MACRS, 2011) e a atuação como consultora geral da mostra “Grão da Imagem – retrospectiva dos 40 anos de trajetória artística de Vera Chaves Barcellos”(Santander Cultural, Porto Alegre, 2007). É autora do livro “Espaço N.O. – Nervo Óptico (Rio de Janeiro, Funarte, 2004), entre outras publicações sobre arte contemporânea. Vive e trabalha em Porto Alegre, RS.

 

 

FVCB na 16ª Semana de Museus

Integrando a programação nacional da 16ª Semana de Museus, promovida pelo IBRAM, a FVCB realiza no dia 19 de maio uma visita mediada acompanhada de encontro com artistas da mostra “A Condição Básica”.

A visita será guiada com a mediadora Marga Kremer e com os artistas Elida Tessler e Sandro Ka. Para a atividade, a FVCB disponibilizará transporte gratuito POA –Viamão – POA, com saída às 14 horas, em frente ao Theatro São Pedro (Praça da Matriz, Centro, Porto Alegre).

Inscrições por e-mail: info@fvcb.com ou pelos telefones: (51) 3228-1445 ou (51) 98102-1059.

 

SOBRE A EXPOSIÇÃO:

“A Condição Básica”, mostra coletiva que reúne trabalhos de mais de 30 artistas, entre brasileiros e estrangeiros, pertencentes ao acervo artístico da FVCB. A mostra conta também com obras dos artistas Elida Tessler e Guilherme Dable, especialmente convidados para a exposição.

Reunindo um diverso conjunto de trabalhos formados a partir de diferentes elementos, alguns alheios ao campo das artes visuais, a exposição apresenta a apropriação como procedimento criativo, reconhecendo o hibridismo e a contaminação como fundamentos integrantes da arte e da cultura.

Artistas Participantes:

Alejandra Andrade | Alfredo Nicolaiewsky | Ana Miguel | Anna Bella Geiger | Antonio Caro | Carlos Asp | Claudio Goulart | Elida Tessler| Enric Maurí | Fernando Alday | Guilherme Dable | Guglielmo Achille Cavellini | Helena d’Avila | Hudinilson Jr | João Castilho | Julio Plaza | Klaus Gröh | Lenir De Miranda | León Ferrari| Lia Menna Barreto | Lluís Capçada | Lurdi Blauth | Marlies Ritter | Nino Cais | Noemí Escandell | Patricio Farías | Sandro Ka | Telmo Lanes | Walda Marques | Vera Chaves Barcellos | Vilma Sonaglio

FVCB promove distribuição de publicações

Na próxima segunda-feira, dia 23 de abril de 2018, a Fundação Vera Chaves Barcellos fará a distribuição gratuita das publicações “Silvio Nunes Pinto: Ofício e Engenho” e “Patricio Farías: A arte de rir da Arte” produzidas com o financiamento Pró- cultura RS FAC.

A distribuição ocorrerá na Sede de Porto Alegre (Av. Julio de Castilhos, 159, 6° andar, Centro Histórico) das 9h às 13h e das 14h às 18h. Participe!

Distribuição de Publicações
Quando: SEGUNDA-FEIRA, 23 de abril de 2018
Horário: 9h às 13h e das 14h às 18h
Onde: Sede de Porto Alegre – Av. Julio de Castilhos, 159, 6° andar, Centro Histórico, Porto Alegre, RS
Mais informações: info@fvcb.com

 

Abertura da exposição A CONDIÇÃO BÁSICA

A Fundação Vera Chaves Barcellos inaugura no dia 07 de abril a mostra A condição básica na Sala dos Pomares. Saiba mais.

No dia 07 de abril de 2018, a Fundação Vera Chaves Barcellos inaugura A condição básica, exposição coletiva que reúne trabalhos de mais de 30 artistas, entre brasileiros e estrangeiros, pertencentes ao acervo artístico da FVCB. A mostra conta também com obras dos artistas Elida Tessler e Guilherme Dable, especialmente convidados para a exposição.

Fotografias, vídeos, serigrafias, livros de artista, obras gráficas e objetos, além de pinturas, esculturas e colagens integram a nova mostra com organização da Fundação Vera Chaves Barcellos que problematiza a questão da apropriação no universo das artes visuais na contemporaneidade.

Alejandra Andrade | Alfredo Nicolaiewsky | Ana Miguel | Anna Bella Geiger | Antonio Caro | Carlos Asp | Claudio Goulart | Elida Tessler | Enric Maurí | Fernando Alday | Guilherme Dable | Guglielmo Achille Cavellini | Helena D’Avila | Hudinilson Jr | João Castilho | Julio Plaza | Klaus Gröh | Lenir de Miranda | León Ferrari | Lia Menna Barreto | Lluís Capçada | Lurdi Blauth | Marlies Ritter | Nino Cais | Noemí Escandell | Patricio Farías  | Sandro Ka | Telmo Lanes | Walda Marques | Vera Chaves Barcellos | Vilma Sonaglio
Abertura da exposição A CONDIÇÃO BÁSICA
Quando: 07de ABRIL de 2018, SÁBADO, DAS 11 ÀS 17H.
Onde: Fundação Vera Chaves Barcellos – Av. Senador Salgado Filho, 8450| Viamão/RS.
Inscrições: info@fvcb.com | (51) 3228-1445 | (51) 9848-5994.

 

Para o evento a FVCB disponibilizará transporte gratuito em dois horários: às 11h e às 14h, com saídas em frente ao Theatro São Pedro, Centro Histórico de Porto Alegre. Inscrição prévia: info@fvcb.com | (51) 3228-1445 e (51) 98102-1059.

Informações: www.fvcb.com | www.facebook.com/fvcbarcellos